Anna Guizzi retorna ao Brasil para o convívio da família – A Voz da Cidade
Siga a Voz da Cidade
HomeEspecialAnna Guizzi retorna ao Brasil para o convívio da família

Anna Guizzi retorna ao Brasil para o convívio da família

Anna Guizzi retorna ao Brasil para o convívio da família

Idelfonso Pinheiro

[email protected]

A vida ganhou um sentido especial para a jovem de 20 anos, Anna Clara Guizzi. A universitária natural de Itatiaia, residente em Resende, viajou aos Estados Unidos durante as férias, no mês de março, acompanhada do namorado e dos familiares dele. Após passar mal e ser internada, foi diagnostica com Acidente Vascular Cerebral (AVC) hemorrágico, que atingiu área delicada do cérebro, em decorrência de um cavernoma. Foram dias difíceis onde Anna Guizzi enfrentou o desafio pela vida longe do Brasil, mas tendo o carinho do namorado Marco Antonio Alves e seus familiares.

Aprendi que temos que estar próximos de Deus sempre

(Anna Guizzi)

Anna realizou cirurgia, intervenção que alterou seu visual sem interferir em sua autoestima e, atualmente, realiza tratamento de fisioterapia tendo acompanhamento também de um médico neurocirurgião. Devota de Nossa Senhora de Guadalupe, Anna Guizzi, passou praticamente quatro meses nos EUA e retornou ao Brasil, no dia 17, chegando a Resende no dia 18; sendo acolhida pela família no processo que chama de ‘renascer’.

RECOMEÇAR

A sagitariana que cursa Direito, conhecida do meio publicitário regional emprestando sua beleza e simpatia para marcas e eventos, concedeu entrevista ao A VOZ CIDADE enaltecendo sua superação contra o angioma e o amor a Deus e à vida. “Fiz a retirada do angioma, porém vou ter que fazer acompanhamento anual do neuro. Atualmente minha preocupação é com a reabilitação. Com o AVC todos os meus movimentos do lado direito ficaram comprometidos. Agora tenho que fazer fisioterapia e acompanhamento anual com neurologista”, disse, sendo questionada em seguida sobre o drama da luta pela vida fora do Brasil, quando cita o namorado, Marco Antônio Alves e seus familiares. “Viver esse drama todo nos Estados Unidos, mesmo sendo país de primeiro mundo, tendo os hospitais mais bem preparados pra receber, foi muito difícil porque é outra cultura, outra língua. Isso foi muito difícil pra mim. Estar longe dos meus familiares foi bem difícil, mas em momento nenhum me senti desamparada, porque a família do meu namorado é como uma família pra mim. Diferente dos outros relacionamentos das pessoas comuns. A minha sogra é como se fosse a segunda mãe pra mim; a cunhada como se fosse uma irmã. Não me senti desamparada”, conta.

FRATERNIDADE E VIDA

De volta ao convívio com a mãe, no bairro Jardim Brasília, em Resende, onde recebe a visita de familiares e amigos, Anna Guizzi lembra que como experiência desta doença aprendeu a valorizar a vida. “Não somos nada, somos muito pequenos diante das adversidades do mundo. E quando não temos Deus somos menos ainda. Sempre fui uma pessoa que teve muita fé, mas não muito religiosa e aprendi que temos que estar próximos de Deus sempre. E que bens materiais vão, passam, mas a saúde é a única coisa que fica. Aprendi a dar valor à minha família. Uma simples garfada de comida dou mais valor que antes: fiquei uma semana sem poder comer, beber água. Tinha dificuldades para engolir comida”, explica a universitária frisando o avanço do tratamento iniciado nos Estados Unidos e a gratidão a todos que através de oração ou donativos, auxiliam a recuperação dela.

“Você aprende a dar valor às coisas que realmente importam, como um simples andar, caminhar; que foi difícil pra mim. Realmente foi um renascer. Meu cabelo está crescendo de novo, estou reaprendendo a andar. Eu tenho certeza que nunca vou saber retribuir o que todas as pessoas fizeram pra mim. Cada oração, cada palavra de carinho, cada doação foi essencial pra minha recuperação. Eu recebi carinho de pessoas que nunca vi e isso tudo me deu muita força pra poder passar por toda situação”, disse creditando o apoio às forças divinas. “É a prova viva que Deus coloca anjos nas nossas vidas, usa as pessoas pra falar, acalmar a gente. Tenho certeza que cada pessoa que se mobilizou pra minha recuperação foi um anjo enviado por Deus. Em relação às doações, vaquinha e eventos, foram muito importantes, essências para ajudar a cobrir parte dos custos hospitalares”, assegura.

DEDICAÇÃO À FISIOTERAPIA

Personagem fundamental no processo de recuperação e mobilização de ajuda para cobrir os elevados custos hospitalares de Anna Guizzi no exterior, Marco Antonio e seus familiares recebeu o agradecimento especial. “Meu namorado e a família deles foram incríveis. Nunca vou ter palavras para agradecer. Dizer o quanto sou grata a Deus por ter colocado essas pessoas na minha vida. Meu namorado sempre foi muito companheiro, leal, amigo, um companheiro de vida mesmo, pra vida toda. No momento estamos focados na minha reabilitação”, argumenta.

Aos 20 anos, Anna Guizzi tem diversos projetos e planos para o futuro, a partir de sua recuperação. A universitária pretende retornar à faculdade e modelar, ainda que como hobby. “Eu agora quero focar na minha reabilitação, ficar com 100% dos meus movimentos. E poder extrair o que há de melhor da vida, o que eu puder levar de bom para as pessoas, quero levar. Ano que vem eu pretendo voltar pra minha faculdade e terminar de cursar porque eu adoro o curso. Sobre a vida de modelo, por enquanto eu vou estar afastada, mas quem sabe eu volto? Volto a divulgar as coisas porque eu sempre gostei muito desse mundo e me faz muito bem trabalhar com isso”, afirma.

FÉ E DEVOÇÃO

Anna Guizzi também pretende auxiliar as pessoas que sofrem com enfermidades e mostrar que toda doença pode ser superada com determinação e fé. “Minha religião é Deus, não sigo nenhuma igreja. Eu vou a todo lugar que estiver pregando amor ao próximo, o amor de Deus em nossas vidas, o respeito, vou estar lá escutando a Palavra, acho que isso que é importante”, afirma projetando o futuro.

“Eu quero poder ajudar mais as pessoas daqui, do meu país, de algum jeito que eu ainda não sei qual. Quero conhecer os campos daqui que ainda não tive oportunidade; quero aproveitar o que o meu país tem a oferecer de melhor”, frisa a jovem que é devota de Nossa Senhora de Guadalupe. “Ela me mostrou o seu poder, a sua intervenção comigo durante essa viagem toda. Ela é minha protetora”, finaliza agradecendo a todos que torcem pela sua recuperação.

“Eu agradeço por me darem essa ‘voz’, porque infelizmente o AVC entre pessoas jovens tem sido cada vez mais comum, seja causado por angioma ou outra doença. Acho bacana as pessoas verem que não é o fim do mundo. É bom a gente ver quando uma pessoa passou por tudo isso. O caminho é longo para a reabilitação, mas graças a Deus o pior já passou”.

ENTENDA O CASO

No dia 28 de março Anna Guizzi estava em Las Vegas, estado de Nevada, quando passou mal, foi encaminhada para o SunRise Hospital &Medical Center sendo diagnosticada, posteriormente com Acidente Vascular Cerebral (AVC) hemorrágico, que atingiu área delicada do cérebro, em decorrência de um cavernoma. Teve alta no dia 11 de abril, mas as sequelas provocaram nova intervenção no dia 24 de abril, culminando em operação no dia 2 de maio, no Barrow Neurological Institute, vinculado ao St. Joseph’s Hospital and Medical Center, referência mundial em tratamento neurológico, situado na cidade de Phoenix, Arizona.

Seu tratamento atingiu os custos de US$ 498 mil e a família segue angariando recursos de amigos e familiares para cobrir esses gastos. Uma onda de solidariedade toma conta de Resende e região, com apoio à jovem que faz fisioterapia e recupera seus movimentos e a rotina aos poucos.

O pai da jovem, o servidor público Branco Guizzi aposta no milagre para a filha. “Foram quatro meses nos EUA. Eu fui visitá-la e sabe quando a ficha não cai? De lá até hoje ela melhorou muito. Será que é propósito de Deus, tem que passar por isso? Eu acredito que é milagre. Estive em Phoenix em junho e ela falava arrastando, não tinha movimentos e nem andava”, frisa.

DOAÇÕES PARA CUSTOS MÉDICOS

A família de Anna Guizzi segue acolhendo doações financeiras para cobrir suas despesas médicas. Os canais para ajuda são: o site www.vakinha.com.br criado por Marco Antonio Alves.

Além do site Vakinha, os interessados em ajudar Anna Clara Guizzi podem doar valores através das agências bancárias. No Banco Itaú – agência 9185 / conta corrente 40.912-6, em nome de Simonia Aparecida Silva (mãe de Anna Guizzi). Para contas da CEF, Banco do Brasil e Bradesco, em nome de Marco Antônio Matos Alves (namorado de Anna Guizzi), utilizar os dados: Caixa – agência 0189 / conta corrente 5084-6; Bradesco – agência 1317 / conta corrente 6912-4 e no Banco do Brasil – agência 01317 / conta corrente 76177-0 e informar o CPF 140042417-82.

Classifique essa Notícia
Sem Comentários

Comentar