A dose de renda variável que cabe no seu medo – COE – A Voz da Cidade
Siga a Voz da Cidade
HomeDinheiro Descomplicado - Itaise CabralA dose de renda variável que cabe no seu medo – COE

A dose de renda variável que cabe no seu medo – COE

A dose de renda variável que cabe no seu medo – COE

Quem anda acompanhando o Ibovespa nos últimos meses sabe que cada nova notícia veiculada é uma emoção. Às vésperas das eleições, o mercado acionário e de derivativos ficou bastante movimentado, foi um sobe e desce que fez qualquer investidor iniciante ficar receoso sobre partir ou não para a renda variável. Mas para quem está indignado com o rendimento da sua renda fixa, quer investir na bolsa e ainda tem medo, pode começar pelos Certificados de Operações Estruturadas (COE).

Regulamentados em 2014, os COEs vem dando a oportunidade para o investidor com baixa tolerância a risco colocar seu ‘pézinho’ na bolsa e negociar ativos como ações, índices e câmbio, com a possibilidade de ganhar mais do que a renda fixa oferece, sem o risco de perder o dinheiro que aplicou.

Esta classe de investimento é, na verdade um grupo de outros investimentos que juntos te garantem um determinado retorno. Parece difícil, mas é bem fácil de aplicar na carteira, é uma caixa com vários ativos financeiros diferentes que podem ser compostos por CDBs, derivativos, etc, e quem administra isso é um banco com expertise para tal. Por exemplo, conheço um banco que emitiu um COE com prazo de 18 meses, durante esse período o banco acorda com você que pagará 110% do rendimento do índice Ibovespa (índice composto pelas ações mais negociadas da bolsa de valores de São Paulo). No final, caso a bolsa caia e o rendimento seja negativo, esta operação garante o capital que foi aplicado no início sem perder nada. Como este, existem vários outros que negociam não só o índice Ibovespa, mas também o dólar, os juros e até as bolsas internacionais.

O risco, na maioria das vezes, é a falta de liquidez, já que normalmente é exigido a permanência no investimento até o final do prazo acordado e o poder de compra que pode ser perdido. O dinheiro parado, sem rendimento, perdeu o que se acumulou de inflação. O que hoje custa X, daqui há dois anos vai custar X+Inflação.

Fique atento, nem todos os COEs garantem o capital investido, para começar, escolha as opções sem risco de perda. Estas operações não são garantidas pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), então é bom prestar atenção no banco que está emitindo a operação. Uma vez contratado, você deve cumprir o prazo acordado, caso contrário a garantia do seu capital pode estar comprometida, destine para este investimento somente o valor que não pretende usar.

Agora o medo não precisa mais te deixar fora do mercado de renda variável, busque um COE que invista na alta ou na queda de um ativo que você acredita e BONS NEGÓCIOS!

Ficou alguma dúvida? Escreve pra mim! @itaisecabral

 

Classifique essa Notícia
Sem Comentários

Comentar