Política 11/10/2017 19:24:35 - Atualizado em 11/10/2017 19:24

Secretário de Saúde comparece à sessão em atendimento a convocação

0 comentários

Envie o seu comentário

* Nome:
* E-mail:
Telefone:
 
* Comentário:  
Declaro expressamente que li as Condições Gerais e aceito seus termos de forma integral. 
 

BARRA MANSA

Atendendo uma convocação da Câmara de Vereadores, a pedido de José Abel Mariano (PRB), o secretário de Saúde, Sérgio Gomes, compareceu na sessão da noite de terça-feira. Os questionamentos giraram em torno, principalmente, na falta de medicamentos e materiais nos postos de saúde e as suas condições de funcionamento.

O autor do pedido para esclarecimentos do secretário destacou que a presença dele é para que os vereadores e toda a população tenham conhecimento sobre a real situação da saúde de Barra Mansa. “Seria uma covardia querer crucificar uma pessoa por um problema que não é de sua culpa, mas a situação da saúde é crítica e todo mundo sabe. Por isso, convidamos o senhor para estar aqui e nos informar, porque a população nos cobra um retorno”, declarou José Abel, falando dos problemas no Hospital da Mulher e a questão de cirurgias de alta complexidade realizadas em Paraíba do Sul.

Diante de problemas da gestão anterior, segundo o secretário, a situação é crítica, mas que sua equipe está atuando com afinco para solucionar todos os pontos necessários. “A saúde em Barra Mansa, realmente está crítica, herdamos dívidas da gestão passada, nem mesmo publicação no Diário Oficial podíamos realizar. E isso é uma exigência para acontecerem as licitações. Além disso, temos uma tabela SUS defasada. O custeio da saúde é ínfimo em relação aos problemas a serem resolvidos. Mas peço um pouco de paciência que, aos poucos, vamos resolver esses problemas”, afirmou Sérgio Gomes.

Sobre a pergunta sobre cirurgias de alta complexidade, Sérgio Gomes informou que elas estão divididas em três polos no estado e o hospital de Paraíba do Sul é responsável por atender os pacientes de Barra Mansa. Declarou que as cirurgias são reguladas pelo estado e não existem condições orçamentárias da cidade realizá-las. “Seria preciso, pelo menos, mais R$ 2milhões mensais para que isso fosse possível em Barra Mansa. A média razoável do valor das próteses é R$14 mil, mas em muitas cirurgias são solicitadas próteses de R$ 50mil. Esses materiais não estão incluídos na tabela SUS e só posso atender, em caso de decisão judicial”, afirmou Sérgio Gomes.

MEDICAMENTOS E MATERIAIS

A falta de medicamentos e materiais nas unidades de saúde foi o assunto da maior parte da sessão. O presidente da câmara, vereador Marcelo Borges (PDT), afirmou que há duas semanas, fiscalizou nove postos de saúde e, em todos, faltava material de higiene, limpeza, medicamentos e insumos para os procedimentos. O secretário argumentou que as licitações já ocorreram e, aos poucos, os materiais estão sendo encaminhados para as unidades. “Iniciamos as licitações em março deste ano, depois que conseguirmos resolver as dívidas com os jornais para publicação dos editais. Desde então, já  realizamos 14 licitações e, aos poucos, os materiais  e  medicamentos vão chegar às unidades de saúde. Recebemos mais R$ 2,6 milhões para compra de insumos básicos. Há ainda outras licitações para acontecerem, com a previsão de abastecimento de um ano da rede de saúde”, afirmou Sérgio Gomes.

FARMÁCIA POPULAR

A retirada de remédios na Farmácia Popular que agora precisa de documentos foi outro assunto abordado pela vereadora Maria Lúcia Moura da Fonseca (SD). Ela declarou que a mudança não foi amplamente divulgada e muitos não estão conseguindo fazer a retirada por não terem os documentos exigidos. O secretário explicou que está sendo realizado o cadastro dos pacientes para a liberação dos medicamentos. Segundo ele, é preciso fazer um controle rígido para evitar retiradas para pessoas que não estão mais vivas, por exemplo. “Meu sonho é informatizar e implantar um prontuário eletrônico do cidadão, em que todas as informações estariam disponíveis em toda rede de saúde”, justificou o secretário, lembrando que os documentos necessários dos quais a vereadora mencionou são identidade, CPF, cartão SUS e comprovante de residência.

CONTRATAÇÃO DE MÉDICOS

A falta de médicos especialistas na rede de saúde foi outro assunto debatido. O secretário comunicou que será aberto um chamamento público no dia 18 deste mês para contratação de ginecologistas, clínicos ferais e oftalmologistas. Sérgio Gomes aproveitou para dar algumas boas notícias aos vereadores. Contou que não tem fila para cirurgia de catarata em Barra Mansa, pois, recentemente foi realizado um mutirão no Centro do Idoso onde foram atendidos cerca de 700 pacientes. E outro mutirão está sendo programado neste mês, quando 150 pacientes farão a cirurgia. 

O vereador Thiago Valério da Silva (PPS) questionou o secretário acerca dos candidatos no processo de contratação de agentes de saúde, que foram aprovados e ainda não foram contratados.  Para esclarecer a dúvida, a coordenadora jurídica da secretaria de saúde, Linamar Carvalho Alves do Lago explicou que as inscrições precisaram ser reavaliadas, antes da secretaria efetuar as contratações, pois não havia uma definição clara da área de abrangência de cada unidade. “A lei determina que o agente comunitário seja morador da área de abrangência do posto de saúde e permite que ele seja demitido caso não cumpra essa exigência. Então, para não prejudicar os candidatos, que poderiam ser demitidos caso não fossem moradores dessa área delimitada, foram revistas todas as inscrições para depois realizar as contratações”, contou.

© A Voz da Cidade. Todos os Direitos Reservados | Política de Privacidade

Desenvolvido por AM4