Polícia 10/05/2017 06:56:45 - Atualizado em 10/05/2017 06:56

Delegado vai indiciar dois envolvidos por tentativa de homicídio e furto

Câmeras de segurança e depoimentos ajudaram a Polícia Civil a elucidar o caso

BRIGA NA PORTA DE PUB

0 comentários

Envie o seu comentário

* Nome:
* E-mail:
Telefone:
 
* Comentário:  
Declaro expressamente que li as Condições Gerais e aceito seus termos de forma integral. 
 
Fotografada por Fábio Guimas
Delegado adjunto da 93ª DP, Marcelo Russo, conversou com o A VOZ DA CIDADE sobre o caso - Foto: Fábio Guimas

VOLTA REDONDA

Após análise de imagens das câmeras de segurança da boate Black Jack PUB, localizada no bairro Aterrado, o delegado adjunto da 93ª Delegacia de Polícia (DP), Marcelo Russo, instaurou inquérito ontem para apurar o caso de uma confusão ocorrida no local na madrugada de domingo. Segundo ele, pela gravação é possível verificar o momento em que um homem agride outro rapaz na saída da boate. Na ocasião, pelo menos quatro pessoas teriam sido agredidas. Russo revelou que um dos envolvidos na confusão, Pedro Esperança, foi indiciado por tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil, quando há ausência de motivação, e sua namorada, Marianna Amorim, por tentativa de furto. O caso vem chamando muita atenção e gerando um grande debate na região. A situação veio a público quando, no último domingo, Marianna disse ter sido agredida, inclusive por seguranças da casa noturna, após o pedido de uma nota fiscal. O caso teria acontecido na madrugada de domingo. Ela fez um post em uma rede social mostrando as marcas roxas pelo rosto e relatando o que teria acontecido. De acordo com a postagem, a mulher já havia saído do estabelecimento com o namorado, Pedro, quando a briga começou. “Estava caminhando na direção do combinado com o taxista, quando um homem (se diz homem) veio na nossa direção (eu e Pedro) xingando a gente, e começou a brigar com o Pedro, juntando mais uns quatro seguranças da casa. Eu entrei no meio para ajudar, e eles me bateram, arrancaram meu cabelo, me segurando pelo pescoço no chão, me deram muitos chutes, um deles me dava muitos socos na cabeça, seguraram o Pedro virado pra mim enquanto me batiam, rasgaram minha blusa, eu estava sem sutiã. Fiquei no chão, toda machucada, com os peitos totalmente de fora. Depois que me soltaram, um deles me pediu desculpa e falou assim: se você tivesse ido embora não precisava disso”, citava a postagem de Marianna Amorim. Após esse relato, outros dois envolvidos na confusão também fizeram posts dando outra versão para os fatos. Um deles, Ricardo Perriraz, disse que o casal estava alterado e que Pedro Esperança o ameaçou e saiu do local. “Como não entendi o ocorrido, saí atrás deles e ao me aproximar, falei a seguinte frase: “Pedro, você não está me confundindo!” Pedro se virou rapidamente e desferiu um soco contra minha cara, que atingiu meu nariz. Sem entender a agressão inesperada, caí podendo apenas me defender dos incessantes socos. No mesmo momento percebi que sua companheira Marianna Amorin também me agredia com chutes. Após algum tempo nessa situa- ção, eu ainda caído com Pedro e Marianna desferindo golpes, percebi a chegada dos seguranças e alguns clientes que vieram apartar a confusão. Nesse momento me levantei e ambos, Marianna e Pedro, haviam sido contidos, mas em situação bem diferente da relatada por Marianna Amorin nas Redes Sociais”, discorreu o post, citando ainda que após esse fato, quando soltaram o casal a confusão retornou e os dois trocaram socos novamente.

DENTRO DO CARRO DO AGREDIDO

 “Em seguida, um segurança me falou que Marianna estava dentro do meu carro (que estava parado ao lado), provavelmente em algum momento eles pegaram a chave, mas não conseguiu ligar o mesmo, pois o carro liga apenas com sensor. Nesse momento, abri a porta do motorista e retirei Marianna à força (puxando pelo braço esquerdo com força, mas sem agredir). Nesse momento olhei para Pedro e o vi cercado por pessoas que já estavam vendo o acontecimento e estes desferiram agressões físicas ao casal. Em seguida, conforme orientação dos seguranças da casa, fui em direção ao carro e a confusão continuava; agressões incessantes, porém provindas de “terceiros” contra o casal”, disse Ricardo, que fez o Registro de Ocorrência da agressão na 93ª DP. Ele aponta que não viu em momento algum segurança da casa noturna agredindo o casal.

INQUÉRITO

O delegado Marcelo Russo destacou que, diante dos depoimentos que vem colhendo e das imagens das câmeras, foi instaurado inquérito e ele chegou a comparar o caso com o acontecido na saída de um bar em Ipanema, na Zona Sul carioca, recentemente, na qual um argentino faleceu após levar um soco durante uma confusão. De acordo com eles, as imagens das câmeras mostram o momento em que Pedro atinge Ricardo. “Uma agressão daquele tipo pode levar a óbito. Esse caso me lembrou muito o fato que ocorreu em Ipanema. Recebi as imagens do Ricardo, nesse caso a vítima da agressão, e conclui ontem que ele sofreu uma tentativa de homicídio por parte do Pedro”, analisou. O delegado apontou ainda que Marianna foi indiciada por tentativa de furto, já que durante a confusão ela teria tentando sair com o carro de Ricardo, mas não teria conseguido ligar o mesmo. Russo destacou que já foram ouvidos, além de Pedro e Ricardo, o dono da casa noturna e seguranças do local e Flaviane, outra jovem envolvida na briga. Ele explicou que Marianna fez o Registro de Ocorrência da agressão sofrida na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam), e o caso é investigado paralelamente. “Lá é outra investigação. Pode ser que na Deam as conclusões sejam diferentes. O depoimento de Marianna não cita a identificação dos autores. A autoria é incerta e não há testemunha”, disse. De acordo com o delegado, ela e Flaviane teriam entrado em luta corporal. Ele disse, que, segundo o depoimento de Flaviane, que teria se envolvido para ajudar Ricardo, e dos seguranças do local, a Marianne teria inciado as agressões. Após Marianna publicar as fotos em que aparece machucada e o texto sobre o que teria ocorrido, a página da casa noturna recebeu muitas críticas e avaliações ruins em sua página da internet. O delegado destacou que é preciso cautela das pessoas nessas situações. “Tem que ouvir os dois lados. Não podemos tomar conclusões precipitadas. Quando recebemos as imagens e ouvimos as versões contrárias, as coisas mudaram de figura”, finalizou.

Black Jack Pub publica pronunciamento oficial

O Black Jack PUB postou, na segunda-feira, em sua página, um pronunciamento oficial sobre o poder da internet e toda a repercussão do caso nas redes sociais. “Nos tempos de hoje, temos que ter muito cuidado com a internet, sobre o que dizer, divulgar, curtir e compartilhar, pois as redes sociais tem um altíssimo impacto na vida das pessoas, com o poder de propagar, distorcer e contradizer uma história, um comentário, uma opinião, ou um momento, sejam estes de início real, irreal ou surreal”, cita a nota. O texto destaca que a avaliação da casa na página caiu de 4 estrelas para apenas uma, mas frisa que não iriam retirar a forma de avaliação, “, pois todos os comentários podem servir de exemplo, mostrando que todos estão unidos para acabar, de uma vez por todas, com a violência contra a mulher, e todo agressor pode ser exposto por qualquer cidadão, e ter sua imagem revelada nas Redes Sociais, para fins investigativos”, apontou. O pronunciamento destaca que a casa noturna demorou para emitir um posicionamento para ter certeza do ocorrido. “O Black Jack não teve envolvimento no fato ocorrido, que foi agressão a uma mulher, mas os seguran- ças foram sim ao local para separar a briga que ocorrera, mas em momento algum agrediram, física ou verbalmente, nenhuma das vítimas ou agressores... Vale ressaltar que os seguranças conseguiram conter as agressões, sem agredir nenhum indivíduo”, descreveu a nota.

© A Voz da Cidade. Todos os Direitos Reservados | Política de Privacidade

Desenvolvido por AM4