Cidades 21/04/2017 02:35:33 - Atualizado em 21/04/2017 02:35

Presidentes das associações de moradores recebem capacitação da Prefeitura

0 comentários

Envie o seu comentário

* Nome:
* E-mail:
Telefone:
 
* Comentário:  
Declaro expressamente que li as Condições Gerais e aceito seus termos de forma integral. 
 

VOLTA REDONDA

Visando a organização das próximas assembleias a serem realizadas nos bairros, a Secretaria Municipal de Planejamento (SMP) realizou, nesta semana, uma capacitação com os presidentes das Associações de Moradores. Os líderes comunitários receberam dicas diversas, como 

técnicas e dicas de oratória para conduzirem as assembleias da melhor forma possível.

Segundo o secretário Municipal de Planejamento, Júlio César Andrade, essa é mais uma etapa da reestruturação do Orçamento Participativo do município (OP). Ressaltou que, ao longo das reuniões realizadas nas últimas semanas, alguns presidentes falaram sobre essa questão de capacitação para realização das assembleias. Disse ainda que, esse encontro tem uma lógica de capacitar para que faça as assembleias de forma mais produtiva possível, para ter o Orçamento Participativo mais efetivo esse ano.

A presidente da Associação de Moradores do Residencial Vista Verde, no Conjunto Habitacional Vila Rica, Maria Cecília Gonçalves da Silva, declarou que toda a ação com o objetivo de proporcionar ao cidadão a oportunidade de opinar e participar de alguma forma dos eventos da cidade, seja ele qual for, é válido. Lembrou que faz parte da Associação de Moradores há algum tempo e vê que, às vezes, são criados situações e programas e a coisa não acontece de verdade.

Cecília falou também sobre o processo de criação do novo modelo do Orçamento Participativo e se mostrou satisfeita. Acha legal reestruturar o OP, pois tudo estava meio parado e precisa recomeçar de verdade.

De acordo com o secretário Municipal de Planejamento, no processo do Orçamento Participativo, a gestão pública estimula a abertura de um espaço compartilhado com a população sobre as suas demandas prioritárias e o que deve incluir no Orçamento Participativo da Lei Orçamentária Anual (LOA). Disse ainda que, a mudança no modelo do OP Municipal foi desenvolvida de forma gradativa. Primeiro, de acordo com o secretário, foi feito um levantamento para ver o que não estava funcionando no modelo antigo do Orçamento Participativo. A partir disso foi pensado em formas para resolver esses problemas. Posteriormente, uma pesquisa dos modelos de sucesso foi realizada para usar de espelho e criar um projeto de Orçamento Participativo que se encaixe na realidade da cidade e que o poder de decisão esteja tanto com a sociedade civil como com a gestão pública.

© A Voz da Cidade. Todos os Direitos Reservados | Política de Privacidade

Desenvolvido por AM4