Natal, a festa mais resistente – A Voz da Cidade
Siga a Voz da Cidade
HomePalavras da Verdade - Pr. José EdsonNatal, a festa mais resistente

Natal, a festa mais resistente

Natal, a festa mais resistente

“Porque o meu nome será grande entre as nações, diz o Senhor dos Exércitos”.
Malaquias 1:11

A comemoração do Natal do Senhor Jesus Cristo, é a maior festa em todo o mundo cristão, e não cristão.

É a maior festa, não tanto pela extensão de povos e famílias reunidas em todas as nações. Mas pelo seu significado de maior importância para toda a humanidade. Pois, o nascimento ou vinda de Jesus, remonta desde o principio da criação da primeira família; mediante o pecado que atingiu Adão e Eva trazendo todas as decadências humanas: Morais, espirituais, e ambientais. Morais porque o comportamento do homem tornou-se incompatível ao caráter de Deus, por isso houve uma ruptura, um afastamento do homem e o seu Criador. Como escreveu o profeta Isaías: “Vossos pecados fazem separação entre vós e o vosso Deus.” (Is 59.1). Espiritual, porque o homem não vigiou e aceitou das mãos da sua mulher a sugestão, a oferta de Satanás, e ambos desobedeceram a Deus comendo do fruto da árvore que Deus disse que não comesse. Pois ali estava uma prova de submissão ao homem, um teste do amor e obediência a Deus. O que não aconteceu. Ambiental, porque o casal foi expulso do aprazível e satisfatório Jardim do Éden.

Daí em diante a terra começou a produzir cardos e espinhos e o homem teve que conviver com esses infortúnios. E hoje vemos a natureza como se revoltando com as poluições e outros atentados contra ela provocados pela avareza do homem. E não só na natureza, mas também espiritual. O homem se afastando de Deus e não só se afastando, mas também provocando a Deus. Se associando e pondo o seu sentimento nas religiões malignas originárias das trevas e da idolatria, abandonado o Deus vivo e verdadeiro, puro e santo. E como escreveu Paulo, o apostolo: “Porque pelo homem entrou o pecado no mundo e pelo pecado a morte por isso a morte passou a todos os homens.” (Romanos 4.12).

Por isso as festas de Natal do Senhor têm sido cada vez mais resistidas, afrontadas, substituídas por folclores, farras e orgias. Quase não se vê mais a glorificação ao Nome da criança que quando homem veio redimir a humanidade dos seus pecados e dar-lhes uma festa eterna no céu.

Simplesmente porque, o homem sendo amante de suas paixões carnais, não quer se submeter ao sistema que Deus exige. Como escreveu o apostolo João 3.19-21: “… a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz…”

As festas de Natal são comemoradas em todas as nações porque em todas as nações Jesus Mandou pregar o seu evangelho, e onde estiver um grupo de pessoas que foram alcançadas pelo poder transformador do evangelho Jesus disse que estaria no meio deles.

E lá estão reunidos para exultar e se alegrar pela vinda do EMANUEL, Deus conosco. E reverentemente festejarão o Natal do Senhor. Eu disse, festejarão porque sabemos que Jesus, possivelmente nasceu no mês de Abib, que é abril. Mas em comum acordo no meio da cristandade comemora-se no dia 25 de dezembro.

O Natal une as famílias que é a primeira instituição humana criada por Deus, e uns idiotas usurpando posições de autoridade procuram destruir as famílias, impondo ideologias absurdas valorizando mais as coisas imorais do que as dignas de honras que engrandecem a Deus. Então, é o meu desejo que você se alegre pela iniciativa de Deus em mandar seu único filho, homem, como todos os homens á partir de uma manjedoura, cresceu, viveu, realizou uma obra que homem nenhum poderia realizar; DAR a sua vida por nossa vida eterna no céu junto a Seu Pai celestial.

Compartilhe!Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter
Classifique essa Notícia
Sem Comentários

Comentar