Excesso de informação em Angra dos Reis fomenta o pânico entre os moradores – A Voz da Cidade
Siga a Voz da Cidade
HomePolíciaExcesso de informação em Angra dos Reis fomenta o pânico entre os moradores

Excesso de informação em Angra dos Reis fomenta o pânico entre os moradores

A Polícia Civil confirmou dois baleados na tarde de terça-feira, dia 6, e a Polícia Militar, por mais um dia não se manifestou sobre o assunto - Foto: Divulgação

Excesso de informação em Angra dos Reis fomenta o pânico entre os moradores

Moradores de comunidades de Angra dos Reis despertam nos últimos dias com o cantar dos pássaros intercalados a rajadas de fuzil e disparos de outras armas de fogo. Segundo o aplicativo ‘Onde Tem Tiroteio’ (OTT), em três bairros foram registradas ocorrências desde as primeiras horas da manhã de ontem: morro do Glória I e II e Sapinhatuba I. Moradores afirmam que também ocorreu cedo intensa troca de tiros no Parque Belém. Na parte da tarde a rotina não foi diferente; mais tiros registrados no OTT. Desta vez no Água Santa e, de novo, no morro do Glória I.

A Polícia Civil confirmou dois baleados na tarde de terça-feira, dia 6, e a Polícia Militar, por mais um dia não se manifestou sobre o assunto – contudo, é sabido que a mesma está realizando operações pelas comunidades. Traficantes do Comando Vermelho (CV) estão em disputa para tirar os pontos de drogas do Terceiro Comando Puro (TCP), e a polícia, por sua vez, tenta controlar a situação, localizar os envolvidos e apreender o material comercializado, além das armas e munições utilizadas pelos criminosos.

De acordo com informações da Polícia Civil, dois homens foram baleados no Parque Belém e no Sapinhatuba, na terça-feira. Eles foram socorridos e encaminhados sob custódia para o Hospital Geral da Japuíba para os primeiros socorros. Em seguida, a dupla foi levada para a 166ª Delegacia de Polícia, onde foi apurado que os dois têm passagens por tráfico de drogas. “Eles têm envolvimento com a invasão no Belém. Embora, baleados, foram presos em flagrante”, disse o delegado titular da 166ª DP, Bruno Gilaberte.  “Tivemos informação de uma terceira pessoa baleada na perna. Não temos certeza se era envolvido ou não com o tráfico; já que quando os dois baleados chegaram ao hospital, ele foi embora”, completou Bruno, dizendo que um morador, de 17 anos, teve ferimentos por conta de estilhaços de bala.

RECADO DE TRAFICANTES

Traficantes do Belém, fortemente armados, gravaram um vídeo mandando recado para traficantes rivais do Areal, dizendo que chegará a sua vez e que eles têm ‘pra lá de 200 fuzis’.

Segundo uma moradora contou para o A VOZ DA CIDADE, eles ameaçam os residentes. “Eles passam à noite acordados. Como se estivessem sempre em festa. Chutam nossos portões. Gritam. Dão gargalhadas e atiram, até granadas. São pessoas que parecem não ser de Deus”, disse.

FAKE NEWS

Com a onda de violência que vem crescendo na cidade, moradores de Angra dos Reis acabam absorvendo muitas notícias que acabam acompanhando na internet, ora verídica, ora infundada. Ontem pela manhã, boatos de que uma criança teria sido baleada dentro de uma escola na cidade começou a circular nas redes sociais, mas a prefeitura esclareceu que a situação foi outra.

O A VOZ DA CIDADE entrou em contato com a assessoria da Prefeitura de Angra para apurar o caso e a mesma esclareceu que: “Não houve criança baleada na Escola Estadual Honório Lima, no Balneário. O que ficamos sabendo é que um jovem, que a princípio não é estudante do local, se assustou na rua com os barulhos do tiro e começou a expressar que tinha sido atingido. Ele foi socorrido e encaminhado para um hospital, mas não tinha nenhum ferimento”, esclareceu.

Questionada se a prefeitura vai cancelar as aulas e os atendimentos em postos de saúde, a assessoria disse que nada está confirmado e que tudo segue normal. “Duas escolas cancelaram as aulas no início desta semana. Isso ocorre quando a direção vê a situação crítica e faz contato com as famílias avisando. A maioria dos estudantes, inclusive, é da comunidade e a própria família já não manda o mesmo estudar sabendo da precariedade na segurança nas ruas”, explicou, dizendo que ontem, duas escolas tiveram que interromper as aulas – uma no Belém e outra na Sapinhatuba I.

Na última semana, o prefeito Fernando Jordão (MDB) pediu ajuda do Governo do Estado do Rio de Janeiro para intervir no crescimento da violência na cidade, mandando tropas e aumentando o efetivo da Polícia Militar. Sobre o assunto, a assessoria disse que a autoridade continua correndo atrás de ajuda. “O prefeito ainda não obteve uma resposta, mas continua fazendo contatos para ajudar de alguma forma a população”, comentou. Questionados se o prefeito estaria mesmo fora da cidade, como muitos estão comentando, os assessores disseram que o chefe do Executivo cumpre sua agenda, parte na cidade, parte fora, quando necessário, quando está fazendo contato para conseguir melhorias para o próprio município.

Uma fonte do A VOZ DA CIDADE informou que Fernando Jordão esteve ontem em Brasília (DF) para pedir intervenção das Forças Armadas em Angra. Sua assessoria informou, mais uma vez, desconhecer o assunto.

VIOLÊNCIA E CARNAVAL

Uma pergunta que muitos que não moram em Angra dos Reis se fazem hoje é: Como será o carnaval diante de tanta violência? Será seguro ir passar os dias de folga no litoral? O A VOZ DA CIDADE conversou na tarde de ontem com o presidente da TurisAngra, João Willy, que também é secretário de Cultura, que explicou sobre a expectativa para uma das festas mais esperadas do ano. Segundo ele, a programação não foi alterada e os preparativos seguem normalmente.

João Willy conta que tem acompanhado de perto a ocupação das pousadas e hotéis da cidade e acalma o turista. “Eu costumo explicar primeiramente que isso que estamos acompanhando não é na rua. Temos até ações fortes por meio do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis), que é feito com recursos da prefeitura para aumentar o policiamento nas ruas”, lembrou, completando: “O que acontece hoje em Angra é o confronto entre duas facções rivais lutando pelo ponto de tráfico de drogas. Essas ações ficam um pouco longe dos nossos corredores turísticos, eu são os destinos mais procurados, como a Ilha Grande, a estrada do Contorno, a Ponta Leste, entre outras. São locais distantes desses confrontos”, garantiu.

Willy conta que a equipe do TurisAngra tem percebido que nesses últimos dias teve uma queda de uns 10% na procura de hospedagens. No levantamento de sexta (dia 2) para segunda (5), a ocupação das pousadas no corredor da Ponta Leste e da estrada do Contorno, estão batendo 80%. “Na Vila do Abraão a mesma porcentagem. Já aqui no Centro tem dois hotéis que estão com 50%, mas era pra estar com 70%, porém não sabemos se isso tem relação com a violência ou com o tempo”, explicou João, reforçando que o prefeito tem cobrado uma ação mais efetiva e espera uma resposta.

“A violência não é só aqui, temos o Rio como exemplo. Temos que pensar que as pessoas que estão sofrendo neste momento (em Angra) são as pessoas que estão nessas comunidades. Nossa programação para o carnaval continua e pretendemos fazer uma linda festa para nossos moradores e turistas”, concluiu João Willy.

Compartilhe!Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter
Classifique essa Notícia
Sem Comentários

Comentar