Banquetes com Jesus Cristo – A Voz da Cidade
Siga a Voz da Cidade
HomeA Voz EvangélicaBanquetes com Jesus Cristo

Banquetes com Jesus Cristo

Banquetes com Jesus Cristo

“Tendo sido, pois, justificado pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo”(Romanos 5: 1).

-O encontro de Jesus com Zaqueu, um publicano; é marcado por surpresas. O homem posicionado em uma árvore é surpreendido ao ser chamado pelo nome e pelas palavras de Jesus: “Zaqueu, desce depressa; porque importa que eu fique hoje em sua casa”. A mesa saboreiam o banquete e conversam. Ao fim da refeição Zaqueu é um novo homem.

-No caso de Levi, é ele que convida Jesus, seus discípulos e “uma multidão de publicanos e outros” para um banquete. Os escribas e fariseus questionam: “Por que comeis e bebeis com os publicanos e pecadores? Jesus declara então o propósito de sua vida:“Os sãos não necessitam de médicos, mas sim os enfermos.  Nãovim para chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento”. Este chamamento é para a reconciliação.

-Agora o banquete acontece na casa de Simão, um fariseu. Uma mulher entra chorando e derrama perfume aos pés de Jesus enxugando-os com os seus cabelos. O cheiro do perfume se mistura ao da refeição. Jesus não é nada discreto. Torna audível a murmuração sussurrada do anfitrião e evidencia a condição da mulher:Esta “pecadora” é muito grata porque foi muito perdoada.

-O ato de comer, em algumas ocasiões serviu como senha de reconhecimento de Jesus. Foi assim com os discípulos no caminho de Emaús: “Estando com eles à mesa, tomando o pão, deu graças e, partindo-o, dava lhes, então, se lhes abriram os olhos e o reconheceram”. -Foi o ato de comer que abriu os olhos de Adão e Eva para o pecado, para a morte, quando comeram do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal.

-Após a ressurreição, Jesus se apresenta aos discípulos reunidos em uma casa em Jerusalém: “Não acreditando eles ainda por causa da sua alegria e estando maravilhados, perguntou-lhes Jesus: “Tendes aqui alguma coisa que comer?  Deram-lhe um pedaço de peixe assado; e tomando-o, comeu diante deles.

– No caso de Judas, a mesa foi ocasião de desmascaramento, ainda assim em amor: “Em verdade vos digo que um de vós me trairá (…)  O que põe comigo a mão no prato, este é o que me trairá”.

Que o Senhor Jesus Cristo seja convidado a estar conosco na mesa e nas nossas refeições. Amem?

#COLUNISTA: Reverendo Gerson Costa- Ministro Jubilado da Igreja Metodista Wesleyana- Pastor/ Conferencista/ Cantor evangélico- Contato com esta coluna: prgersoncosta@hotmail.com/#

Compartilhe!Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter
Classifique essa Notícia
Sem Comentários

Comentar