Angra dos Reis lidera ranking regional entre homicídios – A Voz da Cidade
Siga a Voz da Cidade
HomeEspecialAngra dos Reis lidera ranking regional entre homicídios

Angra dos Reis lidera ranking regional entre homicídios

Angra dos Reis lidera ranking regional entre homicídios

SUL FLUMINENSE

Angra dos Reis está em primeiro lugar entre os municípios mais violentos da região, segundo estatística do Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio de Janeiro. Em levantamento feito pela equipe do jornal A VOZ DA CIDADE, o município da Costa Verde apresenta nos oito primeiros meses do ano de 2017, 84 mortes, sendo delas 64 qualificadas em homicídio doloso, quando há intenção de matar, e 20 homicídios culposos, quando ocorre de forma involuntária, na maioria das vezes acidentes de trânsito. Conversamos com o delegado titular da 166ª Delegacia de Polícia de Angra, Bruno Gilaberte, sobre o assunto e o mesmo garantiu que a Polícia Civil está realizando várias ações para desestabilizar financeiramente o tráfico e, consequentemente, o deixar mais fraco. Várias ações também vem sendo realizadas pela Polícia Militar, que teve papel fundamental nos tiroteios que assustaram os moradores e turistas, nas últimas semanas, fazendo prisões e grandes apreensões.

Em relação aos crimes culposos, Bruno comenta que, em seu ponto de vista, o número é razoável por conta da BR, que cruza Angra. Contudo, ele explica que o mesmo pode ser evitado ou apresentar uma diminuição através de campanhas de conscientização, que devem partir do poder público, e fiscalização de condutas erradas, como por exemplo excesso de velocidade, por meio dos responsáveis pelo trânsito. “O homicídio culposo ocorre por uma conduta descuidada, quando alguém de distrai e acaba provocando a morte de uma pessoa. Não ocorre só em acidentes de trânsitos, tem os acidentes de trabalho também, entre outros. Então cabe verificar em que área ele mais ocorre para ver que tipo de seguimento deve ser tomado”, comentou.

Já em relação aos homicídios dolosos, para Gilaberte, a maioria das mortes é determinada pelo tráfico. “Várias operações são realizadas buscando a apreensão de armas de fogo. Recentemente apreendemos duas pistolas. Simultaneamente, tentamos afetar a capacidade financeira do tráfico pela apreensão de drogas, e com isso a possibilidade de aquisição de novos armamentos fica diminuída. Precisamos que a população entre na briga, repassando, ainda que anonimamente, informações sobre a localização de armas e drogas e sobre o esconderijo de criminosos”, disse o delegado, lembrando que o telefone para denúncia é o (24)3377-8708.

VOLTA REDONDA

Assim como Angra dos Reis, Volta Redonda também teve 20 mortes culposas de janeiro até agosto. Já em relação ao crime doloso, com intenção de matar, o município ficou em quarto lugar, com 20 mortes. A equipe do A VOZ DA CIDADE fez contato com o delegado da 93ª Delegacia de Polícia de Volta Redonda, Marcelo Russo, que também falou sobre o assunto. “O homicídio culposo é normalmente o número um,

pela mistura de álcool e direção. É uma incidência muito grande, tendo em vista que Volta Redonda, na minha opinião, é a capital da região Sul Fluminense, então tem uma vida maior de entretenimento envolvendo o consumo de álcool maior do que outros municípios, o que leva também esse número no ranking de acidentes”, explicou Russo.

Quando aos homicídios dolosos, ele fala que recentemente Volta Redonda teve guerras de facções de tráfico, lembrando os casos ocorridos no Vila Brasília. “Eu diria então que nesse caso, acredito que 80%, está relacionado ao envolvimento com o tráfico de drogas. Depois, em segundo lugar, está na questão passional, envolvendo mulher”, definiu o delegado.

Questionado sobre o que está sendo feito para evitar as duas modalidades, ele explica: “Existe a divulgação por meio da imprensa com campanhas educativas em relação ao consumo de drogas e a direção. Também tem sido intensificado as operações com a Guarda Municipal e com a Polícia Militar para surpreender motoristas embriagados, que é uma alternativa preventiva”, falou. “Nós temos observado que tem uma intensificação de vigilância com policiamento ostensivo nas áreas de alto risco de tráfico de drogas, com apreensão de entorpecentes e armas”, comentou, lembrando também da importância da ajuda da população para denunciar essas pessoas e a localidade dos mesmos.

DEMAIS CIDADES

Em relação ao homicídio doloso, Angra está em primeiro com 64, logo vem Barra Mansa, em segundo, com 24 mortes. Depois temos Resende e Volta Redonda em terceiro e quarto lugar, respectivamente, com 21 e 20 mortes. Porto Real em quinto, com 19, vindo logo Barra do Piraí (sexta cidade), com uma a menos, 18. Em sétimo está Itatiaia com 10; Pinheiral com sete e Piraí em último, com uma morte intencional em oito meses.

Já em relação ao homicídio culposo (quando não há intenção de matar), Angra e Volta Redonda estão em primeiro, com 20 mortes (cada). Em segundo vem Barra Mansa, com 17. Barra do Piraí em quarto lugar, com 14. Piraí em quinto, com 12.  Com dez mortes Resende, em sexto lugar. Porto Real em sétimo, com três mortes. Itatiaia com duas, em penúltimo e por último, Pinheiral, com nenhuma.

PREFEITURA DE ANGRA DOS REIS

A equipe do jornal A VOZ DA CIDADE também entrou em contato com a Prefeitura de Angra para saber de que forma a mesma pode intervir para mudar os dados apresentados com intuito de trazer segurança aos moradores e não prejudicar a imagem da cidade para os turistas.

Em nota, por meio de sua assessoria, a prefeitura informou que a segurança é uma preocupação constante da administração. “Embora não seja da responsabilidade constitucional do município cuidar deste setor, e sim do Estado, não podemos cruzar os braços e deixar a população sofrer com a falta de segurança. Desde janeiro, quando o prefeito Fernando Jordão assumiu a prefeitura, há uma mobilização para tentar amenizar a situação em que o município se encontra. Estamos buscando parcerias para a implantação de um Centro Integrado de Segurança Pública – CISP, que incluímos nas condicionantes da Eletronuclear como um dos projetos prioritários do Governo”, disse em nota.

A prefeitura garantiu ainda que, paralelo a essa procura por parceria, “criamos a Superintendência de Segurança Pública, que está trabalhando afinco para implantar a Guarda Municipal e, recentemente, a mesma, em parceria com a Polícia Militar do Estado, utilizou-se do Programa de Integração na Segurança (PROEIS), que aumentou o efetivo da PM na cidade em 22 policiais, visando reforçar a segurança em todo o município, inclusive na Ilha Grande”, completou a administradora.

Outra ação da Prefeitura relacionada ao tema é a colocação de lâmpadas nos locais com pouca iluminação e a manutenção dos monumentos turísticos, com limpeza, desobstrução, pintura e iluminação apropriada, o que dará mais segurança tanto para os moradores quanto para os turistas.

“Nos colocamos sempre à disposição do Governo no Estado para ajudar no que for preciso e restabelecer a paz que reinava há algumas décadas e que faz de Angra dos Reis uma cidade, além de bela, segura tanto para seus moradores quanto para nossos visitantes”, finalizou em nota a prefeitura.

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter
Classifique essa Notícia
Sem Comentários

Comentar