Amor não é paixão; é o bom sentimento da realidade – A Voz da Cidade
Siga a Voz da Cidade
HomePalavras da VerdadeAmor não é paixão; é o bom sentimento da realidade

Amor não é paixão; é o bom sentimento da realidade

Amor não é paixão; é o bom sentimento da realidade

Muito se escreve sobre o amor. O amor é o exaustivo argumento dos românticos, dos apaixonados. E também dos que realmente amam.

Em nome do amor muitos se dedicam, sofrem, perseveram, conquistam, agradam aos homens e a Deus; pois paralelamente os que amam a Deus devem amar ao seu próximo; comoescreveu o apostolo Pedro: “Amar ardentemente”.

E para encontrar e ser encontrado por este abençoado amor deve haver muita abnegação de si mesmo, muita devoção ao real amor.

E a vida neste amor é transcendente, é satisfatório, é gratificante, irradia alegria. Até o corpo adquire saúde, a alma se satisfaz, e o espírito passa a conhecer a Deus; porque Deus é amor.

O amor é recompensador. Vale a pena investir, se sacrificar; até perder, porque o amor é superior ao supérfluo. Muitos por não quererem ou não priorizarem o amor, perdem o belo da vida; ou seja; não vive a boa realidade da vida.Vive na obscuridade dos seus sentimentos mesquinhos; não são felizes nem tão pouco faz as pessoas que estão ao seu redor,felizes.

Quantos perdem a paz, a comunhão, a amizade, o companheirismo, até o seu futuro, por amar preferencialmente ao vil, ou seja, as coisas de muito menos importância.

O amor é o bom sentimento da realidade. Em contrapartida; a paixão é uma motivação carnal de um coração marcado, magoado, vicioso, avarento, presunçoso, egoísta. Que carrega o ranço de sua vida pregressa acidentada pelas tragédias da vida; desde sua infância, passando pela adolescência e na fase adulta existe um coração doente, um sentimento imperfeito, incapaz de reconhecer o bem, a felicidade, o amor.

Mas isso não é um pretexto para se desculpar ou se fazer de vítima e assim viver uma vida de ódio, intriga, maldade, violência, traição, amargura. Torturando aos que se lhe aproxima ou estão próximo.

Quantas esposas, filhos e parentes vivem sofrendo a dor dos revoltados, amargurados que vivem a descontar nos mais frágeis. Amam a supremacia, o autoritarismo a ditadura no lar e entre os amigos. Vivem escondidos atrás da arrogância e ignorância. Em tudo ele tem que ter a razão.

A sua demonstração de “amor” é pura paixão carnal; num momento, num relance de contradição ao seu gosto; muda completamente o comportamento e deixa todos perplexos.

Eles não tem amigos sincero e voluntários, elesperdem muitas boas oportunidades, E assim sua autoestima é o seu devaneio.

E como Deus olha para uma pessoa assim? Com ódio, com desprezo, quer extingui-lo? Não. Deus amou o mundo (Mesclado de todo tipo de caráter, de vítimas do mal, de procedimentos perversos)de tal maneira (que não se pode compreender) que deu o Seu Filho Único para que todo aquele que nele crer não pereça(Morra de maneira miserável sem esperança) mas tenha a vida eterna. Porque Deus mandou seu Filho ao mundo não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. (João 3.16,17).

Ele, Jesus, veio, não para condenar o pecador, as vítimas do mal. Mas para que todos sejam salvos por Ele.

Então, não há de se permanecer num estado deplorável. Deus tem a solução perfeita para que o homem saia de um estado infernal para um estado celestial; dando preferência ao amor.

Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo;

Pelo qual, também, temos entrada, pela fé, a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus…Porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações, pelo Espírito Santo que nos foi dado. (Romanos 5.1,2,5).

Basta um pouco de reconhecimento do amor de Deus. Um pouco de reflexão. Um pouco de humildade; e completando com o arrependimento sincero. E você mergulhará na maravilhosa realidade do amor de Jesus Cristo.

Pr José Edson

Assembleia de Deus

Av. Presd. Kennedy 1502  Barra Mansa – RJ

Compartilhe:Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter
Classifique essa Notícia
Sem Comentários

Comentar